Suzuki Online
Gostaria de reagir a esta mensagem? Crie uma conta em poucos cliques ou inicie sessão para continuar.

Teste da naked Bandit 650 da Suzuki, no Autódromo de Jacarep

3 participantes

Ir para baixo

Teste da naked Bandit 650 da Suzuki, no Autódromo de Jacarep Empty Teste da naked Bandit 650 da Suzuki, no Autódromo de Jacarep

Mensagem por Heriberto Douglas Ter 24 Jan 2012, 20:57

Por Suzane Carvalho (UOL Carros)

http://suzanecarvalho.blogosfera.uol.com.br/2012/01/23/teste-da-naked-bandit-650-da-suzuki-no-autodromo-de-jacarepagua/

Quando peguei a Suzuki Bandit 650 para testar ela estava com apenas 67 Km rodados. Saí do escritório da J.Toledo em Jundiaí, SP, pela Via Anhanguera e logo peguei a Rodovia dos Bandeirantes. Duas estradas de excelente asfalto. A satisfação em pilotá-la foi imediata.

O ronco do motor é uma delícia. Grave e suave, um “vuuuummmm…” bem ao estilo das motos da Suzuki. O acionamento hidráulico da embreagem deixa a troca de câmbio super suave e não se sente nenhum buraco entre as marchas.

O motor é 4 tempos de 656 cm³ distribuídos em 4 cilindros, com 16 válvulas, DOHC, refrigerado a água. A potência é de 85 cavalos a 10.500 rpm e o torque de 6,27 Kgf.m a 8.900 rpm. Ele corta a 12.500 giros e em 6a marcha, a 10.000 rpm está a 195 Km/h! A taxa de compressão é de 11,5:1 e a relação diâmetro x curso do pistão, 65,5 x 48,7 mm, o que indica um ganho de giro rápido.

Em 1ª marcha chega a 89 Km/h, em 2ª a 135 e em 3ª, 172. A máxima que ela atingiu no Autódromo de Jacarepaguá, que tem a reta curta, foi de 193 Km/h em 4ª marcha. Na pista de testes, chegou a 228 de final.

Rodei por 1.562 Km em estradas, cidades de grande movimento como Rio de Janeiro e São Paulo, estradas de terra e também no Autódromo de Jacarepaguá. Por isso dou a dica: vale muito a pena perder poucos minutos para acertar a suspensão para cada tipo de piso em que você for andar, pois a sensibilidade do chassi tubular é bastante grande (o que indica de boa qualidade).

Você pode mudar a precarga das molas tanto dianteira como traseira.

Por exemplo: quando fui andar no autódromo, ela estava dobrando muito nas curvas, então endureci a traseira, e melhorou bastante, mas a frente continuou pregando. Então endureci a frente também e ela ficou reagindo rápido, sem apoiar nem dobrar muito.

Quando andei na chuva e em estrada de terra, fiquei sentindo a moto flutuar. Voltei a amolecer e me senti segura novamente.

Isso quer dizer que você pode viajar com ela para o interior sem se preocupar em como reagirá quando pegar um trecho off-road. Mas fique atento à pressão dos pneus, pois eles não foram feitos para andar sobre pedras.

Testei também várias calibragens, e a melhor para o asfalto foi 36/36, que é a recomendada pelo fabricante.

Todos esses acertos devem ser feitos inclusive quando você for levar garupa, que terá na Bandit 650 um confortável banco.

Os freios são bons e se saíram bem tanto na pista quanto nas ruas. O dianteiro é composto por duplo disco flutuante ventilado de 310 mm de diâmetro e pinça de quatro pistões opostos da Tokico. O traseiro tem disco simples de 240 mm de diâmetro e pinça deslizante de um pistão.

Vem com pneus Bridgestone montados no aro 17”.

Em geral gosto dos retrovisores das motos da Suzuki, mas não me acertei com os da Bandit. Nem posição, nem angulação dos espelhos, que poderia ser melhor.

O motor pintado de preto e o radiador para fora dão ênfase ao estilo naked. Mas se você gosta de motocicleta com maior porte, pode optar pela versão carenada da Bandit 650, a “S” que ganhou compartimentos na carenagem para transporte de pequenos objetos, além de um terminal elétrico de 12 V.

O modelo 2012 da Bandit 650 teve o escapamento remodelado, ganhou novo design nas setas e lanterna traseira, para-lama traseiro mais esportivo e protetor do radiador em polímero (mais leve em relação ao alumínio). O farol é multirefletor com lâmpadas halógenas.

Moto que tem indicador de marchas e pisca-alerta ganha pontos comigo, pois são dois aliados do motociclista. E a Bandit 650 tem os dois.

O painel de instrumentos é inspirado nas motos superesportivas e possui tacômetro analógico e um display em LCD com velocímetro, medidor de combustível, relógio, indicador de posição de marchas, tudo digital. Eu prefiro o marcador de combustível analógico.

O guidão tem duas posições, variando em 1 cm na altura; o banco abaixa 2 cm e os manetes de freio e embreagem também são ajustáveis em até quatro posições.

O tanque tem 19 litros e o consumo variou bastante dependendo do estilo de pilotagem: foi de 16.79 Km/l na cidade até 10.82 Km/l quando utilizada em alta performance, na pista.

Pesa 240 Kg, tem Injeção eletrônica e partida elétrica.

São quatro as cores: azul, vermelha, cinza e preta.

O preço da naked, que testei, é de R$ 29.900,00. A versão carenada sai por R$ 31.400,00.

Heriberto Douglas
Heriberto Douglas
Participante
Participante

Masculino
Idade : 45
Data de inscrição : 07/11/2011

Ir para o topo Ir para baixo

Teste da naked Bandit 650 da Suzuki, no Autódromo de Jacarep Empty Re: Teste da naked Bandit 650 da Suzuki, no Autódromo de Jacarep

Mensagem por MarceloZ Qua 25 Jan 2012, 10:10

Opa!Traqnuilo Heriberto?
Parabens pelo tópico...muito boa a reportagem
Abraço!
MarceloZ
MarceloZ
Participante
Participante

Masculino
Idade : 37
Data de inscrição : 02/10/2011

Ir para o topo Ir para baixo

Teste da naked Bandit 650 da Suzuki, no Autódromo de Jacarep Empty Re: Teste da naked Bandit 650 da Suzuki, no Autódromo de Jacarep

Mensagem por Convidado Qua 25 Jan 2012, 12:08

Achei o teste // propaganda um pouco falha em alguns aspectos.

1º) A jornalista utiliza macacão de automóvel, aparentemente sem uma proteção. Seria legal mostrar o quanto é importante o motociclista andar bem "protegido".

2º) Ela não leu o manual da motocicleta.
* Posso estar errado, mas pelo menos na B650 2010, deve-se amaciar o motor respeitando a faixa de giros. 1000, 3000 km. Ela diz ter colocado 89km/h em 1º...
* Com 1000 km deve ser feito uma revisão. Poderia citar isto. Se é que esta revisão foi feita...

3º) Legal frizar que tem indicador de marcha, mas isto e pisca-alerta, não definiriam minha escolha em uma motocicleta acima de 600 cc.

4º) Indicador de combustível analógico é melhor que o digital??

5º) Som grave do escape original?? Suave até pode ser, mas grave....

6º) Se ela achou a bandit leve, Hornet e Ducati serão penas...

Resumindo. Ela está migrando de um mundo de 4 rodas para 2. Tem potencial, mas por enquanto, achei fraca a análise e principalmente o descuido com alguns dados que faço questão de entender razoavelmente antes de pegar estrada com a motoca (ler manual).

No mais, parabéns Heriberto


Convidado
Convidado


Ir para o topo Ir para baixo

Teste da naked Bandit 650 da Suzuki, no Autódromo de Jacarep Empty Re: Teste da naked Bandit 650 da Suzuki, no Autódromo de Jacarep

Mensagem por ghaddad Qua 25 Jan 2012, 13:58




É, parece que a moça estava preparada para andar, segundo suas explicações:

Patoloco
Cara Suzane, equipamento de kart não é seguro para se andar de moto, principalmente em pista onde estamos procurando os limites.

Suzane Carvalho
Caro Patoloco, o macacão foi feito especialmente para moto. É de cordura DUPLA, mais resistente que qualquer um de marca, e com proteções de borracha nos cotovelos e joelhos. Foi feito especialmente para isso. Mas valeu a observaçao. É importante tomarmos conta dos motociclistas para que tenhamos o minimo de acidentes. ,-)

ghaddad
ghaddad
Participante
Participante

Masculino
Idade : 46
Data de inscrição : 12/04/2011

Ir para o topo Ir para baixo

Teste da naked Bandit 650 da Suzuki, no Autódromo de Jacarep Empty Re: Teste da naked Bandit 650 da Suzuki, no Autódromo de Jacarep

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Ir para o topo Ir para baixo

Ir para o topo

- Tópicos similares

 
Permissão neste fórum:
Você não pode responder aos tópicos